Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Logo que a votação do referendo grego foi encerrada, as pesquisas de boca de urna já desmentiam as pesquisas divulgadas anteriormente pelos grandes veículos de comunicação da Grécia. A manipulação das pesquisas foi mais uma das armas sujas usadas pela União Europeia e o FMI para enganar, confundir, aterrorizar e assim conquistar votos para o “sim”.

Já com mais de 70% dos votos apurados, fica evidente a coerência do povo grego que elegeu o primeiro ministro Alexis Tsipras com uma plataforma radical contra a Troika e manteve o posicionamento anti-austeridade rejeitando a proposta dos credores.

Com os resultados consolidados, o ministro da economia da Grécia, Yanis Varoufakis, afirmou que “a partir de amanhã, a Europa, cujo coração está batendo na Grécia hoje, vai começar a curar suas feridas, nossas feridas. Hoje o ‘Não’ é um grande ‘Sim’ para uma Europa democrática“.

Para Varoufakis, o resultado não significa que virá um acordo fantástico, mas coloca a Grécia com mais força na mesa de negociação. O ministro grego anunciou que pretende reunir com os bancos nas próximas 24h e garante que sairá com um novo acordo. Do outro lado, o jornal EL PAÍS noticiou que François Hollande e Angela Merkel estão convocando reunião extraordinária da zona do euro para a terça-feira.

Nessa noite, mais uma vez, os cidadãos gregos tomam as ruas e a praça Sintagma para reafirmar a posição antiausteridade que vem sendo manifestada nas ruas há anos.  Independente do que aconteça na segunda-feira, os gregos celebram o novo momento do país que atrai a atenção de toda a Europa pois mostra que existe opção à Troika e à ditadura do capital financeiro.

 

Por Julio Camara

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Publicamos a décima edição de nossa Revista Movimento. Dessa vez, celebramos os 80 anos de fundação da IV Internacional, comemorados em setembro de 2018, com uma seção especial. Há, também, artigos na seção internacional e de teoria. Fechamos esta edição quando a eleição brasileira se encerrava. Como não poderia deixar de ser, nesta décima edição de Movimento, apresentamos nossas primeiras análises sobre os resultados eleitorais. Sabemos que a vitória de Jair Bolsonaro trará graves ataques à classe trabalhadora e ao povo brasileiro. Estaremos com nosso povo, lutando em defesa das liberdades democráticas e de nossos direitos. Mais uma vez, esperamos que a revista seja uma ferramenta útil de construção e formação para nossos camaradas. Boa leitura!

Solzinho