Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Portugal: Bloco de Esquerda tem seu melhor resultado

Fonte: Esquerda.net

“O Bloco de Esquerda teve hoje o seu melhor resultado eleitoral de sempre. Temos mais votos, mais mandatos e mais força do que nunca. Aceitamos a responsabilidade que o voto popular nos confere”, afirmou Catarina Martins na declaração da noite eleitoral, numa altura em que os resultados parciais apontam para uma percentagem próxima dos 10%.

Num comentário ao resultado da coligação de direita, Catarina sublinhou que ela “perdeu votos e perdeu mandatos”. “Se não tiver maioria, não será pelo Bloco de Esquerda que conseguirá formar governo. Uma coligação de direita minoritária não será governo em Portugal se a democracia não lhe der uma maioria”, prometeu a porta-voz do Bloco, garantindo que “o Bloco vai cumprir a sua palavra”.

E no cenário de não haver maioria absoluta de direita, “se o Presidente da República, por filiação partidária ou pouca atenção aos votos, convidar a direita para um governo, saiba que o Bloco, como é um partido de palavra, vai rejeitar no parlamento essa possibilidade”, prosseguiu Catarina, dizendo esperar “a resposta dos outros partidos” quanto a esta clarificação.

“Do que Portugal precisa é de um plano de urgência que junte forças, de curar as feridas da pobreza, de investimento para emprego, aumentar o salário mínimo e afastar as ameaças às pensões. Precisa da tranquilidade e da certeza de que faremos o nosso melhor contra a chantagem financeira. A dívida deve ser restruturada para que haja saúde pública, escola de qualidade e estabilidade nas pensões”, afirmou Catarina Martins.

Antevendo os “dias e anos difíceis” que se avizinham, em que o país vai ouvir falar muito “de crise política, de jogos de influência e de arranjos”, Catarina quis deixar uma mensagem clara aos eleitores que deram o melhor resultado eleitoral ao partido: “o Bloco nunca esquece o essencial: a crise social e as dificuldades da vida das pessoas”.

“Quero dar-vos a mais solene das garantias: o Bloco de Esquerda não desiste de Portugal, não desiste de quem trabalha ou trabalhou toda uma a vida. É preciso firmeza e cabeça fria quanto ao essencial. E o essencial é o emprego”, resumiu.

Numa nota pessoal no fim do discurso, Catarina agradeceu “de todo o coração” aos ativistas do Bloco “que fizeram uma campanha extraordinária” e aos deputados do Bloco que terminaram o mandato: João Semedo, Luís Fazenda, Cecília Honório, Helena Pinto e Mariana Aiveca. “Foram notáveis e continuamos a contar todos os dias com eles”, concluiu.

Leia mais notícias relacionadas aqui.

Conheça na íntegra o Manifesto Eleitoral do Bloco de Esquerda português.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Apresentamos uma revista especial sobre os 50 anos do Maio de 1968 com o orgulho de herdar uma tradição. Assim como a Comuna de 1871, a Revolução Russa de 1917 e as lutas contra as ditaduras na América Latina, consideramo-nos parte deste excepcional movimento mundial de luta política, protagonizado por jovens e
trabalhadores de várias partes do mundo, como nas famosas barricadas de Paris. Consideramos suas lições e sua potência como atuais. Boa parte dos leitores da Revista Movimento participaram ativamente das Jornadas de Junho de 2013 em nosso país. Aos cinco anos deste acontecimento, queremos contribuir para o encontro e a síntese de tão distantes e ao mesmo tempo tão próximas gerações.

Solzinho