Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Nikos Voutsis: “Sem acordo, não vai nem mais um tostão para o FMI”

O FMI já o tinha reconhecido, mas este domingo é o ministro do Interior grego a dizê-lo: em junho o governo vai escolher pagar pensões e salários em vez de continuar a reembolsar o serviço da dívida ao FMI. 


“As quatro prestações para o FMI em junho são de 1600 milhões de euros. Este dinheiro não será entregue, porque não está disponível para ser pago”, afirmou o ministro Nikos Voutsis à Mega TV.

Voutsis acrescentou que continua com um “otimismo moderado” em que um acordo pode ser alcançado com os credores até lá, que “permita ao país respirar”.

Atenas viu o financiamento cortado em agosto passado pelos credores e espera desde então pelos 7200 milhões de euros que correspondem ao montante do empréstimo acordado e à parte grega nos lucros do BCE com a dívida do país, que as instituições se têm negado a pagar e usam como arma para forçar o governo a aceitar o que o povo rejeitou nas urnas: as políticas do fracassado “memorando da troika”.

Artigo publicado em InfoGrécia.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Neste mês de março, preparamos uma nova edição da Revista Movimento, dedicada especialmente para a reflexão e elaboração política sobre a luta das mulheres. Selecionamos um conjunto de materiais – artigos teóricos, textos políticos, documentos e uma especial entrevista – com o intuito de aprofundar o esforço consciente demonstrado por nossa organização nos últimos anos em avançar na compreensão sobre o tipo de feminismo que defendemos, bem como sobre o papel essencial e a importância estratégica que a luta feminista tem para a construção de um projeto anticapitalista. Um desafio exigido pela atual conjuntura, marcada pela ascensão de governos de extrema-direita no mundo, na qual o movimento feminista tem se apresentado como contraponto e trincheira de resistência fundamental. Por isso, esta edição pretende, antes de mais nada, auxiliar e fortalecer nossas intervenções feministas nesse momento, a começar por duas datas muito significativas que inauguram este mês: o 8 e o 14 de março, dia em que se completará um ano do brutal assassinato de nossa companheira Marielle Franco. Esperamos que seja proveitoso e sirva como instrumento para as nossas batalhas. Boa leitura!

Solzinho