Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Justiça anula sessão golpista que tentou derrubar Gelsimar Gonzaga

O primeiro prefeito do PSOL, que vem sendo alvo de sucessivas tentativas de golpe por parte dos vereadores da cidade, venceu mais uma batalha. O Juiz da Comarca de Itaocara, Drº Rodrigo da Rocha de Jesus, decidiu pela suspensão da sessão desta terça-feira (24) que resultou na cassação do então prefeito de Itaocara, Gelsimar Gonzaga (PSOL).

“Ressalto que a comarca é de pequeno tamanho, onde todos os fatos são de conhecimento notório, e não há notícia de que a Câmara Municipal tenha ficado, de fato, sem funcionar por um dia que seja. Posto isso é que antecipo os efeitos da tutela ao final pretendida para suspender, integralmente, o julgamento da comissão processante que culminou com a cassação do prefeito municipal, mantendo o autor, até ulterior decisão deste Juízo, como Prefeito Municipal de Itaocara”.

Gelsimar encabeçou a mobilização popular contra o golpe e mais uma vez dá o exemplo, na pequena cidade de Itaicara-RJ, de como se deve enfrentar os interesses das castas políticas e empresariais. Neste momento a cidade está parada, os trabalhadores de Itaocara iniciaram uma greve geral em solidariedade a ele. Venceremos!

Ato contra o Golpe

Leia Abaixo a nota de solidariedade da executiva do PSOL RJ:

NÃO AO GOLPE EM ITAOCARA! TODO APOIO A GELSIMAR GONZAGA!

Na noite de 23 de fevereiro, a frágil democracia brasileira sofreu mais um duro golpe. A Câmara de Vereadores de Itaocara (RJ) aprovou a cassação do prefeito, o companheiro Gelsimar Gonzaga. A acusação? “Impedir o funcionamento regular da Câmara”. A justificativa? Gelsimar teria atrasado uma suplementação orçamentária para a Câmara de Vereadores. O motivo real é que, desde o início de seu mandato, em janeiro de 2013, Gelsimar Gonzaga enfrentou as velhas práticas políticas, interrompendo a lógica de “toma lá, dá cá”, de extorsão entre o Poder Legislativo e o Poder Executivo. E, por isso, foi perseguido pelos vereadores durante todo o seu mandato.

A verdade é que a oligarquia de Itaocara e do estado do Rio de Janeiro nunca tolerou Gelsimar Gonzaga, um homem do povo, ex-cortador de cana e ex-sindicalista, que se elegeu prefeito em uma campanha com parcos recursos, feita em seu fusquinha. Primeiro prefeito eleito pelo PSOL, logo no início de seu mandato, Gelsimar deu um choque de democracia: secretários municipais foram eleitos em assembléias, com a participação de servidores públicos e da população. Também no primeiro mês de mandato, Gelsimar ganhou a antipatia da maioria dos vereadores ao não aceitar contratar uma empresa de coleta de lixo que garantiria uma “caixinha” para todos. Ao invés de privatizar, Gelsimar comprou mais um caminhão de lixo para o município, o que nunca foi perdoado pelos vereadores. Por isso, em pouco mais de três anos de mandato esta foi a terceira tentativa de cassação que sofreu, numa clara demonstração de perseguição política. As duas primeiras haviam sido interrompidas pela Justiça.

Porém, não foi “apenas” a lógica do fisiologismo na relação com o Poder Legislativo que Gelsimar rompeu. Ele também inverteu a prioridade política e de investimentos do poder público, priorizando os interesses dos mais necessitados. Comprou ambulâncias e equipamentos para os hospitais municipais, reformou escolas municipais e investiu nos servidores públicos, aumentando salários e implantando um novo plano de carreira – o que levou à melhoria dos indicadores sociais do município. Garantiu o passe livre para os estudantes do município e também para aqueles que cursam ensino superior em municípios vizinhos. Ampliou muito a coleta seletiva de lixo. Asfaltou vias nas comunidades mais afastadas, onde a população estava acostumada a andar com os pés na lama. Por tudo isso, o “governo do povo” tem o reconhecimento e o apoio da população de Itaocara.

É um ato de violência política inaceitável que – ainda mais em meio ao mar de lama em que se encontra a política nacional – um prefeito democraticamente eleito seja afastado pelo simples fato de se recusar a aceitar as chantagens dos vereadores.

O PSOL vai recorrer imediatamente à Justiça desta decisão descabida e conta com o apoio da população de Itaocara para tomar as ruas, dizendo não ao golpe. Vamos lutar para que Gelsimar possa concluir seu mandato legítimo, e que tenha a oportunidade de concorrer à reeleição.

Executiva Estadual do PSOL-RJ

Rio de Janeiro, 24 de fevereiro de 2016.

 

 

 

https://www.facebook.com/gelsimar.gonzaga/videos/561139574045887/

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Na quinta edição da Revista Movimento, trazemos ao público um especial sobre a crise brasileira. Nele, publicamos longa entrevista com o economista Plinio Sampaio Jr., que oferece instigante diagnóstico do fracasso da política econômica conduzida pelos governos do PT. Fecham a seção dois artigos sobre o poder das corporações no capitalismo global e a teia corrupta que estabelecem com Estados e governos. Um conjunto de artigos sobre a situação internacional aborda as dificuldades enfrentadas pelo governo Trump, a crise na Venezuela e o avanço das lutas no Peru.

Abaporu

Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky

Leon Trotsky Joseph Stalin