Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Homenagens – Enrique Morales: Presente!

Companheir@s,

Cumprimos o doloroso dever de informar o falecimento do companheiro Enrique Morales, dirigente do MES, dirigente do PSOL e da Fundação Lauro Campos. Aqui estamos reunindo as homenagens acumuladas a este grande camarada.

O velório será no domingo (1º de março),  a partir das 12:00hs, no Plenário Otávio Rocha, na Câmara Municipal de Porto Alegre. Às 17h, prestaremos uma homenagem no mesmo local.

Enrique MoralesCompanheir@s,
Cumprimos o doloroso dever de informar o falecimento do companheiro Enrique Morales, dirigente do MES, dirigente do PSOL e da Fundação Lauro Campos. Atualmente Enrique estava trabalhando na Coordenação da Bancada o PSOL na Assembléia Legislativa do RS, junto com Luciana, com quem trabalhou por quase 8 anos em Brasília. Sua próxima tarefa, para a qual vinha se preparando com afinco, seria coordenar a campanha do PSOL para a prefeitura de Porto Alegre. Não sabemos ainda a causa da morte, possivelmente um enfarto, pois ele faleceu dormindo.
Comunista desde os 16 anos, Enrique era um destemido que sempre reivindicou a luta e o heroísmo dos Tupamaros. Uruguaio e brasileiro, nascido em Merlo e desde a adolescência em Bagé, Enrique tinha a cultura dos uruguaios e a alegria de viver dos brasileiros. Nós, que o conhecíamos bem, sabíamos que sua cultura incluía a sua paixão por poesia. Gostava e tinha devorado Ulisses de Joyce. Mas o que ele mais gostava era de política. Principista e flexível, conhecia como poucos dirigentes a historia da America Latina e do seu amado Uruguai. Conhecia como poucos o PSOL e sua dinâmica. Morales foi fundador do PSOL junto conosco, e durante anos foi presidente do PSOL DF. Foi fundador do MES e durante todos os nossos 15 anos de existência como corrente, foi da nossa coordenação nacional. Antes de fundarmos o PSOL Enrique já era da nossa mesma organização e foi nosso representante na executiva estadual do PT.

Nos últimos meses tinha se apaixonado por conhecer de perto as favelas cariocas e adorou ver e viver esta experiência de perto durante algumas semanas.

Enrique tinha 3 filhos e uma filha,com os quais tinha uma relação de amor, amizade e companheirismo. Estava vivendo em Porto Alegre e ainda tinha muito para fazer. E teria feito se a morte não parasse este revolucionário.

Morreu um camarada, amigo, irmão comunista. Com 63anos, viveu a vida toda pela causa da revolução. Choramos sua morte e juramos honrar sua memória lutando contra o capitalismo ate a vitória final.
O velório será no domingo (1º de março),  a partir das 12:00hs, no Plenário Otávio Rocha, na Câmara Municipal de Porto Alegre.
Roberto Robaina
Luciana Genro

 

Caros companheiros do MES e do PSOL. Perdemos Enrique, um grande militante, ativo, decidido a toda disputa justa, que carregava 20 anos de luta na construção do MES e do PSOL. A nota assinada por Roberto e Luciana o dizem tudo sobre ele. É uma perda, mas também fica um ganho. Enrique passa a fazer parte de nossa história, nossa tradição. Seu exemplo de vida militante com suas grandes virtudes e também suas debilidades (que todos nós militantes temos), ficam. A tradição é uma parte fundamental de toda organização corrente ou partido, ela educa, forma sobretudo aos companheiros mais jovens, muitos que nem sequer conheceram a Enrique; dá sentido de um todo humano a nosso movimento.

Pedro Fuentes, Secretaria de Relações Internacionais do PSOL, dirigente do MES

Aos companheiros do MES, aos militantes do PSOL:

Hoje soubemos da triste perdida de Henrique.

Conhecemos Henrique, fomos camaradas, e sabemos de sua paixão militante. Neste momento de tristeza expressamos mais uma vez nossa solidariedade aos familiares, amigos e companheiros de corrente e do PSOL, e reforçamos nosso compromisso militante e internacionalista como foi o de Henrique na sua vida.
Henrique Morales, PRESENTE! até o SOCIALISMO SEMPRE
Coordenação nacional da CST/PSOL

 

423047_361491680530686_1651234217_nAmanhece no Rio, o sol convida à vida e celebramos os 450 anos de resistência nativa à dominação colonialista. Mas esta telinha, que abro agora, me traz a dor: ENRIQUE MORALES se foi. Passado o choque, lida a mensagem de Luciana e Robaina e as de solidariedade, de vários companheiro(a)s, seco as lágrimas, respiro fundo. E afirmo que, em memória de Enrique (com quem tb convivi em Brasília, na mesma dura construção do sonho socialista, e na troca de vivências sobre as ‘fragilidades coronárias’), não podemos usar o PASSADO: ‘foi’, ‘deixou’, ‘lutou’. Enrique fez sua passagem para ‘um outro nível de vínculo’, eterno – deve ter até reclamado dela, tão ‘serena’, dormindo! – mas continua SENDO conosco, em cada luta que travarmos.
Transmitam aos seus entes queridos e à toda a companheirada meu abraço sentido e fraterno. Não acaba a vida de quem se dedica aos valores que a transcendem.
Chico Alencar – Deputado Federal do Rio de Janeiro pelo PSOL

 

Pensei que a mudança de ano pudesse me livrar da má notícia de perder camaradas imprescindíveis. Mas o carma continua. Enrique Morales, 63 anos, de quem nunca havia ouvido qualquer referência quanto a debilidades de saúde, nos deixa abruptamente. Confesso meu abalo, minha tristeza. E quero que registrem minha mais sincera solidariedade aos que vão continuar a luta à qual ele dedicou a vida.
Enrique Morales, Presente!!!
Fraternalmente, Milton Temer

 

Enrique Morales. Um militante de toda a vida, camarada gentil, apreciador dos tintos, lutador de fibra! Partiu muito antes do combinado! A militância da Construção Socialista presta sua solidariedade aos amigos e familiares. ENRIQUE PRESENTE!

Érico Corrêa – Construção Socialista

 

Luciana, Robaina e demais companheiros,

Que tragédia.
Conheci e convivi com Enrique nestes dez anos de construção do PSOL.
Aprendi a respeitar todos os que lutam, mesmo quando divergem em coisas que nos parecem importantes (somos imediatistas na militância e muitas vezes enxergamos de forma demasiado grande as pequenas divergências do dia a dia). Enrique era firme em suas ideias e coerente com seus princípios.
A imagem que tenho dele é de uma pessoa abnegada com a causa, coisa que é menos frequente nesta nova geração de revolucionários.
Durante o processo de Congresso brigamos muito, mas no dia seguinte, na campanha eleitoral, aquelas pequenas divergências (que pareciam tão grandes) foram esquecidas e, quando o encontrei, felizmente foram encontros fraternos.
Transmitam minha tristeza e solidariedade.
A melhor forma de honrar a memória de um revolucionário e manter a bandeira do socialismo viva.

Luiz Araujo – Presidente Nacional do PSOL

Também apaixonado por futebol, não perdia a oportunidade de perguntar do Sport e falar do futebol do Uruguai em detalhes. Segue o exemplo de vida dedicada a luta socialista. Fiquei algumas vezes no seu apartamento em Brasília e era uma das melhores e imperdíveis conversas nas atividades nacionais do partido. Força e pensamentos positivos aos companheiros e familiares nesse momento, em especial, aos do DF e do Rio Grande, um abraço específico no camarada Bernardo Correa Corrêa que sei que nutriam uma relação de amizade mútua.

Camarada Enrique Morales Presente! Viva a luta pelo socialismo!

Zé Gomes, ex- candidato ao governo de Pernambuco, dirigente do PSOL PE

Tristeza enorme pela notícia da morte do companheiro Enrique Morales, que faleceu hoje em Porto Alegre. O companheiro foi fundador do PSOL e presidente do partido no Distrito Federal, onde deixa bons amigos. Pouco antes das eleições, mudou-se para a capital gaúcha, para seguir de lá a construção do partido em que tanto acreditava. Era de personalidade dura, incisiva, às vezes até difícil, mas só ficam as boas memórias: quando, entusiasmado, nos apresentou à Luciana Genro e demais dirigentes de sua corrente, dos convites para visitar Porto Alegre e, sobretudo, das conversas regadas à cerveja e algumas risadas que tivemos especialmente nos últimos dias antes do “compañero” (Morelas era uruguaio) deixar o DF. O entusiasmo com que contava a história da política uruguaia, da formação e ascenso da frente ampla no país, dos Tupamaros e de Mujica, e até de sua família e vida pessoal, são inesquecíveis.

“O DF não é para qualquer um, Paraná. Levei anos para entender como se faz política nessa cidade. Mas vou sentir muitas saudades. Esse foi um dos lugares em que mais gostei de militar”.

Vá em paz, companheiro. Você combateu o bom combate. À nós, resta seguir em frente. Hasta!

Edemilson Paraná, vice presidente do PSOL-DF, Esquerda Libertária, Anti Capitalista – ELA

 

Mal posso acreditar. A esquerda e a classe trabalhadora perderam hoje Enrique Morales. Uma homenagem sincera e o compromisso de continuar a luta! Enrique presente!

 

André Ferrari, dirigente nacional do PSOL e da LSR

Grande amigo, com quem aprendi e troquei muito. Qualquer homenagem é pequena diante de uma vida inteira dedicada ao amor pela humanidade. Corajoso, parceiro e poeta, vá em paz, amigo Enrique Morales.

Honorio Oliveira, dirigente nacional do PSOL e do MES

Ainda sem palavras, tentando processar o acontecido.
Uma grande perda para a esquerda socialista.

Enrique Morales, presente!

Juliana Selbach, Presidente do PSOL DF, Dirigente do MES

Enrique Morales

ENRIQUE MORALES PRESENTE!

A morte de Enrique Morales nos enche de dor e tristeza. Como fundador e Presidente do PSOL no Distrito Federal, Enrique foi um militante exemplar.

Vamos lembrar que o companheiro ajudou no crescimento de nosso partido no campo da esquerda socialista. Perdemos um militante internacionalista, exemplo de luta em defesa do socialismo, aqui no Brasil, no Uruguai – seu país de origem – e em todo o mundo! Enrique, você estará sempre presente entre nós!

Direção do PSOL – DF

Minha homenagem ao camarada Enrique Morales com quem tive a honra de dividir a tarefa de construir a Frente de Esquerda (PSOL, PCB, PSTU) para as eleições de 2014 no DF.

Enrique Morales, presente, hoje e sempre!

Rafael Madeira, candidato a deputado federal PSOL DF, Insurgência DF

Enrique MoralesEstou realmente arrasado pelo falecimento de meu camarada Enrique Morales. Muitos diziam que éramos como pai e filho e até por sermos um pouco parecidos fisicamente esta confusão se alimentava. Sabíamos que éramos muito mais que isso. Compartilhávamos o amor pela boa música e não foram poucas as noites que nossas conversas tiveram como trilha sonora Kind of Blue de Miles Davis, o melhor disco do mundo na opinião dele, aliás, opinião que também compartilhávamos.

Compartilhávamos a admiração política por Lenin e nossa certeza da vitória dos trabalhadores. Compartilhávamos o amor pela arte (pela poesia em especial). Chegamos até mesmo a morar juntos por um curto e feliz espaço de tempo.

Tudo que aprendemos juntos é indescritível. Enrique era uma pessoa especial. Profundamente delicado e amoroso, mas implacável na crítica e no combate. Era um inimigo mortal do cinismo e da hipocrisia. Se trocássemos os papéis certamente diria: Vai te foder cara!! Não era a hora de nos deixar!!

O mais importante é seguir seu exemplo e lutar obsessivamente pela nossa vitória, com raiva e com poesia. Que a gente tenha a grandeza necessária para fazer jus ao seu legado. Com muito carinho e o coração tranquilo de ter dado o último abraço ontem à noite, antes dele partir. Acima de tudo compartilhamos a camaradagem mútua, no sentido mais pleno que ela pode significar. Obrigado por tudo.

Bernardo Correa, presidente do PSOL- Porto Alegre, dirigente nacional do MES

Sentimos muito a perda de Enrique Morales. Militamos juntos, na época do PT. Depois no PSOL, mesmo em organizações diferentes, sempre tivemos uma relação de camaradagem. Morales foi um revolucionário como poucos. Todos perdemos com sua morte.

Aos camaradas do PSOL, de sua corrente MES e aos familiares de Enrique Morales, recebam nossos sinceros sentimetos.

Mário Azeredo e Berna Menezes – Coor. Nac. Do Fortalecer o PSOL

Henrique, mais um lutador que nos deixa mas não será esquecido.
Abraços fraternos a todos os seus;”

Francisvaldo Mendes de Souza, Tesoureiro do PSOL nacional

Perdemos Enrique Morales, grande amigo, poeta, militante incansável, anti-demagogo incorrigível e companheiro na mais justa acepção do termo. O vazio e a tristeza desse dia de fevereiro só não são maiores que a história e os exemplos que construiu em vida. Eles seguirão nos arrastando.

Valeu camarada.

Mauricio Costa, Dirigente nacional do PSOL e do MES

Eu ainda to sem palavras pra descrever o que sinto. A morte nunca me foi boa. Agora ela me devasta. Receber a noticia do falecimento justamente dele que amava esta vida. A viveu como um grande combatente.
Enrique, um leninista como ele tantas vezes ressaltava e me mandava ler vários textos. Dos cigarros nas varandas e janelas. Das minhas diversas idas a Brasília e nossos papos intermináveis. Da cerveja gelada a nos acompanhar do beirute a paulista.

Das nossas convergências e divergências. Sempre me ensinou muito.

Estou lendo e me emocionando cada vez mais a cada palavra que vários companheiros estão escrevendo por aqui.

Sem estender-me, quero ser capaz de continuar o seu legado e dedicar a nossa vitória a esse camarada.
Que o amanhã venha.

Obrigada, meu amigo.
Sara Azevedo, dirigente do PSOL e do MES- MG

Tomei um enorme choque ao saber que o Morales vai militar noutro tempo e espaço. Para além de um quadraço da esquerda socialista e revolucionária, também um grande e fiel amigo. Sempre acreditou na luta como instrumento de transformação da sociedade e é exatamente esse legado que temos a obrigação moral e política de suceder. Perda irreparável para cada um dos revolucionários. Caramba, como dói essa cruel realidade! Sempre presente companheiro!

Sandro Pimentel – Presidente Estadual do PSOL/RN, vereador de Natal e dirigente do MES

Manifestamos, em nome da militãncia da Ação Popular Socialista no Distrito Federal e em todo o pais, nosso profundo pesar pelo falecimento de nosso querido companheiro Enrique Morales, ocorrida hoje em Porto Alegre. O companheiro uruguaio foi fundador do PSOL e Presidente de nosso partido no Distrito Federal, onde deixou amigos para sempre. Você estará sempre presente em nossa memoria e na historia das lutas de nosso povo na construção do socialismo e do internacionalismo!

Alexandre Varela, dirigente do PSOL e da APS – DF

Para Enrique Morales

quando morre um comunista
todo o morro se cala, se queda perdida
toda a gente que luta e batalha

quando morre um comunista
o sol brilha menos, a terra seca mais.
sus compañeros se miran tristes
pues se quedó más lejos, nuestro sueño de pán y paz

cuando se muere un comunista
meu coração bate mais forte – hay que leer Lênin carajo!
dizia o comandante-poeta, maior lembrança que poderia nos deixar

mas já que o sul é nosso norte
hoje posso sonhar e sorrir
pues justo cuando se muere un comunista
que el comunismo nunca nunca muere.

Por Fabiana Amorim, militante do MES

Uma dura perda se abate sobre nós.
A notícia da morte do camarada Enrique Morales, dirigente do MES e do PSOL marca com tristeza e saudades nossos dias.
A nota de Luciana e Roberto expressam o nosso sentimento.
Perdi um camarada, um dirigente, um amigo que fiz desde minha adolescência.
Um comunista duro como somos na hora da política.
Um comunista generoso e humano como poucos.
Amante da vida, poeta, abnegado.
Uruguaio e brasileiro. Me apresentou Joyce e Zitarrosa.

Perdemos também um pouco de nós. Seguimos com a força do devir e com uma responsabilidade adicional. Agora lutamos também por sua honra e memória.
Enrique presente.

Israel Dutra – Sociólogo, Direção Nacional do PSOL e do MES

Enrique Morales, dirigente nacional do MES e fundador do PSOL. Um homem que representou a essência do marcante poema de Bertolt Brecht: “OS QUE LUTAM. Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons; Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons; Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda; Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis”. VIVA o internacionalismo proletário, VIVA Erique Morales!
Leandro Fonte, direção do MES/RJ

Robaina, espero que este ainda seja teu número de telefone.
Lamento profundamente. O Henrique foi meu amigo. A casa dele foi meu refúgio e ponto de sustentação para nossos sonhos e para nossa ação. O afeto e amizade por ele jamais diminuíram. Perdemos um grande ser humano. Sem ter onde manifestar meu pesar faço-o através de ti.
g>Martiniano Cavalcante, dirigente nacional da Rede

Fiquei profundamente triste pelo Morales, Mario me falou hoje! Que tristeza tão grande!!! Bjs pra vocês!
Heloisa Helena, vereadora de Maceió

Queridos e queridas camaradas do MES e do PSOL. Quero registrar aqui meu mais profundo sentimento pela perda de nosso camarada Enrique Morales. É sempre uma tristeza perder alguém tão próximo, que faz parte da nossa vida, de nossa luta, de nosso cotidiano. Minhas condolências também à sua família, em especial aos seus filhos. Lembraremos de Enrique sempre pelo seu melhor, pelos tijolos que colocou na construção de um mundo melhor, mais justo, igualitário e belo. Ele estará sempre conosco, em nosso coração, em nossa memória.
Robério Paulino, ex-candidato ao governo do Rio Grande do Norte pelo PSOL

Queridos compañeros del MES/PSOL:

Desde Argentina les hacemos llegar nuestras condolencias por el fallecimiento del compañero Enrique Morales y le enviamos un saludo y abrazo fraterno a todos sus compañeros y familiares.
El recuerdo y cariño, por quienes dan su vida diariamente en la construcción de un proyecto socialista, siempre sigue vivo en la memoria y en la actividad revolucionaria y permanente de toda la militancia de nuestra corriente, que toma como ejemplo lo mejor y más noble, de cada uno de aquellos que, como Enrique, aportan en esta tarea.

Un abrazo para todos y mucha fuerza para seguir adelante en la construcción del MES y el PSOL.

En nombre de la dirección de nuestro partido, Sergio García
Secretario de Relaciones Internacionales del MST de Argentina

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Na quinta edição da Revista Movimento, trazemos ao público um especial sobre a crise brasileira. Nele, publicamos longa entrevista com o economista Plinio Sampaio Jr., que oferece instigante diagnóstico do fracasso da política econômica conduzida pelos governos do PT. Fecham a seção dois artigos sobre o poder das corporações no capitalismo global e a teia corrupta que estabelecem com Estados e governos. Um conjunto de artigos sobre a situação internacional aborda as dificuldades enfrentadas pelo governo Trump, a crise na Venezuela e o avanço das lutas no Peru.

Abaporu