Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

FALÊNCIA DO ESTADO E DO SISTEMA PENITENCIÁRIO

Por Sandro Pimentel – Vereador PSOL/Natal

Um sistema controlado por facções criminosas que dizem onde querem ficar encarcerado, que em muitos casos negociam com os sistemas de segurança, que têm apêndices em setores do judiciário e das polícias, é um atestado de autofalência.

O estado não cumpre seu papel educador, ressocializador, muito menos oferece condições de trabalho aos policiais, nem instrumentos tecnológicos para atuarem na inteligência e assim,  agirem preventivamente no combate ao crime organizado e ao narcotráfico em especial. O policiamento ostensivo tem efetivo e equipamentos insuficientes para oferecer segurança à população. No RN o governador Robinson se elegeu prometendo ser o governo da segurança, mas desde que foi eleito os homicídios aumentam de forma galopante a cada trimestre e sua providência se resume a substituir comandantes.

A discussão sobre execuções e crise no sistema penitenciário é muito complexa porque tem várias vertentes sociais, educacionais e interesses políticos transversais. Não é tão simples assim o julgamento sumário de quem deve ou não deve ser executado e de que forma, mesmo porque se analisarmos friamente ali não tem NENHUM filho de rico, os que enriquecem com o narcotráfico, os que estupram adolescentes nas coberturas de prédios luxuosos, os que exploram e assediam filhas de trabalhadores pobres, os saqueadores da esperança do povo, os políticos que desviam milhões e consequentemente, levam à morte milhares de pobres, em maioria negros e periféricos nos corredores dos hospitais por falta de leito e medicamentos todos os dias.

Não podemos continuar inertes ou torcendo para que cada rebelião se transforme em matanças cada vez maiores de quem deve e tem sim que ser punido rigorosamente à luz da legislação em vigor. Não podemos permitir que os entes estatais assistam de camarote o “UFC” entre famílias pobres fora do crime versus  famílias pobres que têm algum criminoso preso nas pocilgas ou campos de concentração do Brasil apelidadas de penitenciária e pior, na torcida por um dos lados.

Sugiro ao governador que ao invés de gastar em busca de experiências em outros países que têm outras culturas e costumes, organize um grande evento com o tema da crise na segurança e a FALÊNCIA do sistema penitenciário no RN, convidando experiências exitosas em outras capitais, chamando as prefeituras, os nossos policiais, imprensa, OAB, MP, Direitos Humanos, Juízes Criminais e ainda, buscando diversos pesquisadores nas universidades, tudo com participação efetiva da sociedade para juntos, buscarmos saídas efetivas e não eleitoreiras para garantir segurança à população que periodicamente vive dias de terror, lastreados na incompetência e inércia do estado.

De minha parte, mesmo “pequenino” parlamentar municipal, vou tentar organizar um micro evento com esse perfil, na tentativa de contribuir com o meu estado e consequentemente, com nossa população, na certeza de que como está não deve continuar, é o que penso e respeito todas as posições em contrário, bem como, peço o mesmo em relação a mim.

Posteriormente informarei dia, horário, local e formato.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Esta é uma edição especial de nossa Revista Movimento. Como forma de contribuir para os debates que ocorrerão na VI Conferência Nacional de nossa corrente, o Movimento Esquerda Socialista, este volume reúne dois números da revista (7 e 8). Dessa forma, pretendemos oferecer à militância e a nossos aliados e leitores documentos que constam do temário oficial do evento, bem como materiais que possam subsidiar as discussões que se realizarão. Na expectativa de uma VI Conferência de debates proveitosos para nossa corrente, desejamos a todas e todos uma boa leitura deste volume!

Abaporu