Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Eleições na Espanha: o povo fazendo política

Por OLGA RODRÍGUEZ, para Eldiario.es

Há uma novidade nestas eleições municipais e autonômicas que, sem dúvida, se estudará nos livros de história: povo fazendo política. Agrupamentos cidadãos como Barcelona en Comú, Ahora Madrid, Marea Atlántica ou Zaragoza en Común, entre tantas outras, irromperam no cenário eleitoral demonstrando que se pode fazer e conceber a política de um modo muito mais plural e democrático.

Nelas participam ativamente muitos dos jovens que, há quatro anos, com o surgimento do 15M, víamos nas praças se indignando e reivindicando um modelo realmente representativo que não desse as costas aos interesses da maioria. Desde então até agora se desenvolveram tecidos sociais e políticos ativos, comprometidos e conscientes de que as boas notícias têm que começar por nós mesmos. “Temos que criá-las, não esperar para ler sobre elas na manhã seguinte”, escreveu estes dias um jovem integrante de Ahora Madrid.

Ahora MadridFrente a um modo de compreender a política como um simples instrumento do bipartidarismo concebem sua atividade nas agrupaciones ciudadanas que se apresentam nas eleições não como uma profissão, mas como um compromisso. Estão dando tudo e, à medida que o fazem, seguem tecendo para o futuro, porque 24 de maio é só um passo a mais em um longo caminho a percorrer.

Formações que existem há poucos meses – mas que colheram frutos dos últimos 4 anos desde o 15M – apresentam-se, segundo as pesquisas, como uma força destacada e inclusive decisiva. Tais agrupamentos são compostos de cidadãos fazendo política: não dependem do poder financeiro porque não quiseram pedir créditos aos bancos, preferem financiarem-se por microcréditos e diretamente através de crowdfunding [fundo coletivo de arrecadação de dinheiro por meio da internet], quer dizer das contribuições econômicas das pessoas comuns. Graças a isso gozam de uma independência inédita: não t~em vínculis com grandes empresas nem com grupos midiáticos, não devem favores aos bancos, ninguém lhes poderá exigir tratamento preferencial em futuras concessões de contratos.

De fora da Espanha se observa estas iniciativas com grande atenção. Por exemplo, nessa semana o jornal britânico The Guardian escrevia que Ada Colau representa esperança contra a desigualdade e a corrupção. Na Espanha os governantes desatenderam uma maioria para servir a uma minoria. Frente a isso, surge uma política vinculada às ruas, organizada de baixo pra cima, consciente de que as formas são fundamentais e que ser muitos e estar unidos  é a maior arma contra esta guerra sem balas que nos declararam faz tempo. Seu poder, posto em comum, tem uma força exponencial.

Marea AtlánticaFalando com integrantes destes agrupamentos cidadãos, vendo como se organizam e trabalham, o fazendo uma simples visita a suas redes sociais se pode captar a essência do que são. “Pessoas que acreditam que as coisas podem ser de outra maneira”, escreviam nesta quarta a partir da conta de Ahora Madrid, o grupo que concorre com a ex-juíza Manuela Carmena como candidata a prefeita. “Este mês está sendo extenuante e lindo. Daqueles que quando já não podes mais, no lugar de cair,  vem aquele sorriso espontâneo, isso graças aos e às companheiras com as quais divido cansaços e vontades”, escreveu em seu Facebook Nacho Murgui, segundo na lista de Ahora Madrid.

Está se reinventado a política para devolvê-la ao povo. “Somos gente comum fazendo coisas extraordinárias”, disse o candidato de Marea Atlántica, Xulio Ferreiro. “A felicidade é incompatível com uma sociedade cruel”, assinala Manuela Carmena. “A política é a arte de se juntar com os demais e construir em comum para melhorar a sociedade. Também é desejo e alegria. A política é comunidade. Nunca me perdoaria se deixasse de ser quem sou por um punhado de votos”, afirma Ada Colau. 

Ada Colau 20MHá, neste modo de atuar e de pensar, um protagonismo especial e fundamental das mulheres. mulheres que desde o princípio enchem as praças, as comissões de trabalho, os grupos de bairro. Por exemplo, o comitê de campanha de Barcelona en Comú – formação encabeçada por Ada Colau – no bairro de Sarría está constituído sobretudo por mulheres de 50 anos para cima. Elas alimentam as redes sociais, organizam os atos, colam cartazes. Delas e de tantas outras disse Ada Colau: ” ganhando ou não as eleições ver tantas mulheres, velhas e jovens, empoderadas e com vontade de participar ativamente da vida política já é uma forma de ganhar”.

 São tempos em que temos que entender o otimismo como uma militância, não com ignorância ou ingenuidade, mas sendo conscientes de que é imprescindível ter ilusão e esperança para poder mudar as coisas. É esse otimismo, unido à necessidade de deter tanta infâmia, o que juntou muita gente diferente com interesses comuns.

Esta gente está nos dando uma lição porque demonstrou que se pode fazer política de forma diferente. E isso, por si só, já é uma vitória. Neste domingo, dia 24, pode-se optar por mais do mesmo, pela perpetuação das políticas a serviço de uma minoria, ou podemos eleger recuperar nossas cidades e comunidades autônomas para pô-las a serviço da maioria social. É possível, porque já aconteceu outras vezes na história. E, sobretudo, é urgente.

Como disse a candidata de Ahora Madrid Manuela Carmena, ” os conservadores sempre acreditaram que o mundo não poderia mudar. O que temos insistido é que só graças aos inovadores sociais conseguiram-se as grandes conquistas da humanidade, nos chamaram de utópicos sempre. Sim, somos utópicos porque queremos uma democracia absolutamente diferente”.

Barcelona en Comú_comício

 

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Na quinta edição da Revista Movimento, trazemos ao público um especial sobre a crise brasileira. Nele, publicamos longa entrevista com o economista Plinio Sampaio Jr., que oferece instigante diagnóstico do fracasso da política econômica conduzida pelos governos do PT. Fecham a seção dois artigos sobre o poder das corporações no capitalismo global e a teia corrupta que estabelecem com Estados e governos. Um conjunto de artigos sobre a situação internacional aborda as dificuldades enfrentadas pelo governo Trump, a crise na Venezuela e o avanço das lutas no Peru.

Abaporu

Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky Uma biografia inédita de Stalin escrita por Leon Trotsky

Leon Trotsky Joseph Stalin