Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Convoque seu escracho contra os corruptos e moralistas! FORA CUNHA!

Pedro Serrano, Luciano Victorino e Sâmia Bomfim

A vida de Eduardo Cunha (PMDB) se tornou mais difícil desde a última sexta-feira, 27. Em São Paulo, o presidente da Câmara Federal foi escrachado por ativistas dos movimentos LGBT e feminista. Ao tentar falar no plenário da Assembleia Legislativa do estado, Cunha foi obrigado a ouvir verdades: ele é um machista, LGBTfóbico e, além de tudo, corrupto. Diante do escracho, o presidente da ALESP, Fernando Capez (PSDB), ordenou a expulsão dos manifestantes com base na violência da Polícia Militar. As cenas desta truculência tomaram os jornais do país e as redes sociais.

Nesta segunda-feira, 30, a história se repetiu. O Juntos!, ao lado de outros movimentos, escrachou novamente Eduardo Cunha, desta vez em Porto Alegre. Mais uma vez, o denunciamos como o reacionário que ele é. Erguemos cartazes e fizemos “beijaços”. Jogamos as verdades na cara deste conservador!

O fato é que o atual presidente da Câmara Federal mobiliza idéias e propostas reacionárias, moralistas e conservadoras, como forma de esconder sua própria “imoralidade” e seu envolvimento em escândalos de corrupção. Eduardo Cunha, que não admite um beijo entre dois homens ou duas mulheres, é o mesmo que está na lista da operação Lava Jato, talvez o maior escândalo de corrupção da história do Brasil! O mesmo Cunha, que propõe a criação do “dia do orgulho heterossexual” ou que declara que a discussão sobre a legalização do aborto “não passa nem sobre seu cadáver”, é o Cunha que, décadas atrás, ajudou a eleger Fernando Collor presidente, que envolveu-se em casos de corrupção quando esteve na presidência da TELERJ, e diversos outros episódios. Aparentemente, esta é a “moralidade” deste sujeito, um dos principais líderes da bancada fundamentalista e quadro do PMDB, um dos partidos mais fisiológicos e oportunistas.

Mas Eduardo Cunha brinca com o fogo. Desde junho de 2013, nossa luta feminista e LGBT, a luta por todos os direitos democráticos e contra toda forma de intolerância e opressão, apenas cresce. Somos uma geração que não admite que os opressores levantem o dedo para nós! E por isso rechaçamos de conjunto o sistema político que permite a existência de figuras como Eduardo Cunha no poder. É indignante o fato de um deputado como ele ser rechaçado pela população, mas bajulado pela ampla maioria dos políticos, seu iguais. Eduardo Cunha, hoje, é o inimigo número 1 das liberdades democráticas no Brasil! Ele é que é intolerante com a diversidade, com a população LGBT, com as mulheres, as negras e negros e todos os oprimidos. Escrachá-lo é justo e necessário!

Após São Paulo e Porto Alegre, nós, do Juntos! LGBT e Juntas!, deixamos um recado a todos os jovens do Brasil: convoque seu escracho contra os corruptos e moralistas! Por onde pisar Eduardo Cunha, vamos atrás dele para dizer as verdades e não nos calar! Vamos reproduzir este exemplo com todos os demais políticos reacionários, corruptos e inimigos do povo. Assim como aconteceu com Marco Feliciano em 2013. Não vamos nos calar! É com a nossa luta que podemos construir uma sociedade diferente. Fora, Cunha!

Pedro Serrano é do Grupo de Trabalho Nacional do Juntos e do Juntos LGBT; Luciano Victorino é do Juntos LGBT e coordenador do DCE UFRGS; Sâmia Bomfim é do Juntas .

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Publicamos a décima edição de nossa Revista Movimento. Dessa vez, celebramos os 80 anos de fundação da IV Internacional, comemorados em setembro de 2018, com uma seção especial. Há, também, artigos na seção internacional e de teoria. Fechamos esta edição quando a eleição brasileira se encerrava. Como não poderia deixar de ser, nesta décima edição de Movimento, apresentamos nossas primeiras análises sobre os resultados eleitorais. Sabemos que a vitória de Jair Bolsonaro trará graves ataques à classe trabalhadora e ao povo brasileiro. Estaremos com nosso povo, lutando em defesa das liberdades democráticas e de nossos direitos. Mais uma vez, esperamos que a revista seja uma ferramenta útil de construção e formação para nossos camaradas. Boa leitura!

Solzinho