Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Avaliação do Movimento Esquerda Socialista sobre a greve dos SPF

As instituições federais estão em um dos piores momentos, passam por cortes drásticos de seus orçamentos de até 40%. Grandes universidades tiveram que atrasar o início do período letivo por falta de pagamento dos terceirizados, programas como Ciência Sem Fronteiras, PARFOR e PIBID sofreram brutal redução colocando em risco sua continuação e a pós-graduação também não ficou de fora, perdeu em torno de 75% de suas verbas. O ajuste fiscal atingiu de cheio as universidades, se não param pela greve pararão pela falta de recursos.

A entrada do SINASEFE e da CONDISEFE e outras entidades na greve, com perspectiva de fortalecimento, trás um gás necessário para a greve dos servidores públicos federais organizados no Fórum dos SPF.
A semana passada foi dinâmica para os SPF. Dia 20 houve a segunda reunião entre o governo e o fórum, uma reunião para apresentar a mesma proposta com pequena diferença por que apresenta reajuste nos benefícios como vale alimentação e auxílio creche. A novidade foi a marcação das reuniões setoriais durante a semana, nessas reuniões não ocorreram avanços concretos. Além disso, o Governo foi taxativo ao afirmar que não haveriam ganhos aos aposentados, desrespeitando pauta histórica da categoria.

 maioria das entidades do fórum acredita que temos que elaborar uma contra-proposta para o governo. Nossa avaliação é que temos folego para fortalecimento do movimento, e que devemos apostar na unidade do fórum e de uma contra-proposta que garanta avanços e coloque a intransigência do governo na parede.
Recentemente tivemos a caravana dos SPF em Brasília, o ato reuniu mais de cinco mil trabalhadores, paralelo a este ato realizamos atos unificados locais e regionais. Devemos seguir com estes atos conjuntos, de preferência semanalmente. A unidade de ação entre os trabalhadores tem sido importante, além da unidade com os estudantes que estão na luta contra o corte de verbas.

Após as reuniões com o governo na semana passada, e considerando que os avanços foram poucos, uma nova etapa na greve se abre, consideramos que a partir da semana que vem a radicalização da greve é necessária, e propomos esta tarefa ao conjunto do funcionalismo público federal. No início de Agosto haverá nova caravana a Brasília nos dia 5 e 6, devemos nos somar a esta mobilização para que, o maior número de trabalhadores participe. Só a mobilização pode fazer avançarmos de fato nas negociações.

Só a luta muda a vida.

Servidores Públicos Federais organizados no Movimento Esquerda Socialista – Sindical e Popular.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Solzinho