Movimento Esquerda Socialista (MES/PSOL) MES MES: Movimento Esquerda Socialista

Declaração Manolis Glezos, Eurodeputado do SYRIZA, ícone da resistência anti-nazista, tem hoje 92 anos.

O fato de que a Troika tenha renomeado “instituições”, que o Memorando passe a ser chamado de “acordo” e os credores chamados de “parceiros”, é a mesma coisa que batizar carne como peixe, não altera a situação anterior.
E você não pode mudar o voto do povo grego na eleição de 25 de Janeiro.
O povo grego votou no que SYRIZA prometeu: que nós iríamos abolir o regime de austeridade que é a estratégia não só das oligarquias da Alemanha e os outros países credores, mas também da oligarquia grega; que nós iríamos revogar os memorandos e a Troika e toda a legislação de austeridade; Que no dia seguinte com uma lei aboliríamos a Troika e as suas consequências.
Um mês se passou e esta promessa precisa ainda se tornar ação.
É uma pena na verdade,
De minha parte, eu peço desculpas ao povo grego por ter contribuído com essa ilusão
Antes que a direção errada continue, antes que seja tarde demais, vamos reagir.
Acima de tudo os membros, amigos e simpatizantes do SYRIZA , em reuniões urgentes em todos os níveis da organização, eles tem que decidir se eles aceitam esta situação.
Algumas pessoas dizem que num acordo você também deve fazer algumas concessões. Por princípio, entre o opressor e o oprimido não pode haver nenhum compromisso, como não pode haver nenhum compromisso entre o escravo e o conquistador; Liberdade é a única solução, mas mesmo se aceitar este absurdo, as concessões que já foram feitas pelo anterior governo pro-memorando com desemprego, pobreza e suicídio, estão além de qualquer limite de concessão…

Manolis Glezos, Bruxelas, 22/02/2015

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

Apresentamos uma revista especial sobre os 50 anos do Maio de 1968 com o orgulho de herdar uma tradição. Assim como a Comuna de 1871, a Revolução Russa de 1917 e as lutas contra as ditaduras na América Latina, consideramo-nos parte deste excepcional movimento mundial de luta política, protagonizado por jovens e
trabalhadores de várias partes do mundo, como nas famosas barricadas de Paris. Consideramos suas lições e sua potência como atuais. Boa parte dos leitores da Revista Movimento participaram ativamente das Jornadas de Junho de 2013 em nosso país. Aos cinco anos deste acontecimento, queremos contribuir para o encontro e a síntese de tão distantes e ao mesmo tempo tão próximas gerações.

Solzinho