Brasil Sindical

30° Congresso do SINASEFE: importante avanço das bases e da vanguarda combativa da categoria

30 consinasefe
Escrito por MES

Por Maycon Bezerra – Professor do Instituto Federal Fluminense, membro da Comissão Sindical Local do Sinasefe no IFF – campus Cabo Frio, integrante da chapa do Fórum Classista e militante do MES-PSOL.

O recente Congresso do Sinasefe, realizado em Brasília entre os dias 18 e 21 desse mês de março, já figura como o maior da história de nosso sindicato. Contando com 517 delegadas e delegados, assim como dezenas de observadores de todas as regiões do país, o 30° Consinasefe pôde expressar o fortalecimento da presença das bases da categoria na construção e na definição dos rumos do sindicato, impondo, na luta, a recomposição necessária para adequá-lo à realidade atual da rede federal de educação básica, profissional e tecnológica e de suas trabalhadoras e trabalhadores.

O Consinasefe recebeu a saudação da CSP-Conlutas, que construímos; da Fasubra e do Andes, nossas entidades co-irmãs; e dos partidos da esquerda socialista que ajudam a construir nosso sindicato: PSOL, PCB e PSTU. De um ponto de vista classista, fica cada vez mais clara a importância estratégica de nosso sindicato nacional, que representa várias dezenas de milhares de trabalhadores, em uma rede de ensino capilarizada por todo o território nacional e voltada, prioritariamente, à formação dos setores mais qualificados da classe trabalhadora brasileira, especialmente, sua ala mais jovem.

Como não poderia deixar de ser, o debate sobre a crise econômica, social e política que convulsiona o país se fez presente nas plenárias e grupos de discussão. Assim como muitos outros debates relativos à necessária reestruturação organizativa de nossa entidade, à precarização de nossas condições salariais e de carreira, ao abandono da rede dos Institutos Federais pelo governo, ao papel a desempenhar no âmbito da CSP-Conlutas, e etc. As discussões revelaram uma militância comprometida e aguerrida, uma quantidade bastante significativa de quadros sindicais jovens, muito qualificados, que atuam como vanguarda de nossa categoria, tanto ao nível das bases, quanto ao nível da construção sindical nacional.

Um dos pontos altos desse 30° Consinasefe foi o manifesto das companheiras delegadas em repúdio às práticas machistas ainda vigentes em nosso meio sindical. Esse manifesto, que unificou companheiras das diferentes correntes e agrupamentos que constituem nosso sindicato, questionou a pouca representatividade feminina na organização do Congresso, a inadequação das condições para acolher as companheiras acompanhadas de filhos pequenos, bem como as práticas recorrentes de assédio e desqualificação machista. Ao mesmo tempo, a luta contra as demais opressões vigentes em nossa sociedade também encontrou espaço. A luta contra o racismo, a LGBTfobia e o machismo se inscreveu fortemente nas resoluções de nosso congresso.

O resultado eleitoral para escolher a nova coordenação nacional do Sinasefe expressou a derrota do setor burocrático que vinha estrangulando o desenvolvimento de nossa entidade, inclusive sabotando a última greve nacional da categoria. A postura e a vontade militante e combativa das bases se manifestaram na nova composição da coordenação nacional, através da grande votação nas chapas de oposição à antiga maioria. Nesse plano, se destaca a impressionante vitória política do Fórum Classista: um agrupamento novo, que reúne uma ampla maioria de militantes independentes e as forças organizadas da esquerda socialista representadas pelo MES-PSOL, APS-PSOL. PCB, PSTU, entre outras.

A articulação democrática e horizontal, refratária a qualquer caudilhismo e aparelhamento, permitiu que o Fórum Classista incorporasse um importante setor da base e da vanguarda militante que dirigiu a última greve da categoria, como também continuasse a funcionar como um pólo de aglutinação dos setores mais combativos da militância de nosso sindicato durante os debates e polêmicas do Congresso. A presença do Fórum Classista na composição da direção nacional e na coordenação geral do Sinasefe foi celebrada, inclusive por setores de outros agrupamentos, como uma vitória da luta anti-burocrática de nossa categoria. Um avanço importante na construção de um novo tempo para o Sinasefe, a partir dos fundamentos da independência e oposição classista ao governo Dilma; do fortalecimento da CSP-Conlutas; do compromisso com a construção de um terceiro campo político e social dos trabalhadores frente à polarização burguesa entre PT e PSDB; e da tarefa de colocar nosso sindicato à altura de defender a rede federal de educação básica, profissional e tecnológica nesses tempos de ataques tão violentos.

Há uma luta imensa por fazer, vamos a ela!

Sobre o autor

MES

Comente